domingo, 10 de janeiro de 2016

Queijos vegetais de Superbom

Eu provei a mussarela, por enquanto. Ainda está difícil de acreditar que um desses nossos produtos substituiriam o queijo. Não derrete na pizza, por exemplo, e achei o gosto artificial e, portanto, consigo perfeitamente viver sem.

Eu gostei de usar em sanduíches, por exemplo, com hambúrguer, maionese (tudo vegan, claro), tomate, molhos, etc. Ou seja, no meio de tudo isso, o sabor do queijo se confunde um pouco e acho possível "enganar" o paladar.

Como não se trata de um produto baratinho, prefiro continuar vivendo sem. Não consegui provar tantos queijos vegetais quanto gostaria (principalmente os importados), para fazer comparações, mas creio que os queijos vegetais nacionais ainda têm muito o que melhorar. 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Requeisoy

Maravilhoso! Indico!


Comprei na Casa Bueno, na Liberdade. Quase ao lado, tem a Marukai, que também tem. Ambas têm as pastinhas da Bem-me-quer.Paguei R$ 5,30, excelente custo benefício!



sábado, 11 de outubro de 2014

Documentário incível! - Gary Yourofsky

Alimentos vegetarianos milagrosos!

1. Chocolate meio-amargo (70 a 85% de cacau) contém mais ferro do que um bife! Uma porção de 85 gramas de bife (70% carne, 30% gordura) contém 2,11 mg de ferro, enquanto 85 gramas de chocolate meio-amargo contém 10,12 mg!

2. Você consegue alcançar 25% das suas necessidades diárias de cálcio com 1/2 xícara de tofu.

3. Para proteína, escolha edamame. Uma xícara contém 17 gramas de proteína e 16 gramas de carboidratos.da.

4. Duas colheres de sopa de melaço (extraído da cana-de-açúcar) contêm 400 mg de cálcio. Isso é mais do que o cálcio que é servido em uma porção de leite ou queijo!

5. Apenas uma xícara de couve picada contém 206% do recomendado diariamente de vitamina A, 134% de vitamina C e 684% de vitamina K.

Da comunidade Eu, vegetariano. 

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Comprando produtos veganos

Pode não ser fácil sair para comprar tudo. Se você é uma pessoa ocupada (como quase todos hoje em dia), vai gostar das dicas abaixo: só lojas online com produtos ótimos!



Asia shop: massa para yakisoba, arroz, missô, molhos, alga, folha de arroz, temperos e especiarias, tofu...


Shop oriente


Konbini


Zona Cerealista Online: produtos sem lactose, farinhas, grãos, oleaginosas, cereais, sementes, chás...


Armazém Santa Filomena online: castanhas, temperos, especiarias, carne de soja, grãos em geral...


Pão de açúcar online: tudo o que tem num supermercado!


Emporio Vegan


Pro Vegan


Veg de marca








sábado, 11 de janeiro de 2014

O perigo da soja




Vegetarianos podem cair no erro de consumir soja em excesso. Há ainda muitas contradições a respeito dos males que a soja pode provocar na saúde, então vou me limitar a falar superficialmente dos argumentos de ambos os lados – a favor e contra – o consumo da soja.

Há um argumento, no entanto, que não pode ser ignorado, independente das razões pela qual você tenha se tornado vegetariano, ou ainda que não o seja: o meio ambiente. Longe de fazer apologia à questão ecológica, temos que admitir que esse é um assunto que interessa a todos, afinal, vivemos neste planeta e a todos interessa sua conservação. Aos protetores dos animais, aliás, interessa duplamente: as florestas destruídas são o berço de parte da nossa fauna.

A soja é um dos produtos da industria, assim como a carne e o leite, e é usada para o lucro, ou seja, isso significa que foi criado um mito para fazer as pessoas acreditarem que é sinônimo de saúde, assim como muitos acreditam que o leite é essencial para a alimentação, uma grande mentira.

Há quem diga que a soja deve ser preparada com cuidado. Quanto aos grãos, somente a fermentação ou o demolho seriam eficazes para que se aproveite as suas propriedades sem causar tantos malefícios à saúde. A proteína texturizada seria a pior forma de ingeri-la, mas ainda há controvérsias. Por outro lado, a soja é conhecida como uma boa fonte de proteína vegetal, indicada inclusive para mulheres na menopausa, já que acentua seus sintomas. 

Encontrei uma reportagem que interpreta uma embalagem de proteína texturizada e – apesar da presença do corante caramelo: atenção veganos! – seria um alimento excelente pela quantidade de fibras e pelo fato de não ser transgênico. A reportagem completa está aqui. 

Outra reportagem citou a ingestão de soja como culpada pela perda da libido em homens e até pelo aumento das mamas e perda de pelos corporais! Enfim...

Quanto à saúde, portanto, o conselho é o mesmo para quase tudo: equilíbrio! Mesmo para o vegano, não é preciso basear a alimentação em soja, ela pode ser um complemento, mas nunca a base.

Quanto ao meio ambiente, infelizmente, o problema é o mesmo da carne: a destruição da floresta para cultivar a soja é tão prejudicial quando para criar pastos. A moderação no consumo não impede a destruição, mas alivia a consciência. Nada impede, porém, que lutemos, ainda que seja através da conscientização, da criação de petições, da denúncia, enfim, das formas pacíficas que possibilitam ao consumidor e ao cidadão o cuidado com seu país e com seu planeta.

A minha ideia de dieta vegetariana saudável é depender cada vez menos da soja, buscando outras  alternativas de queijos e leites à base de castanhas e outras fontes de proteína vegetal.

Além disso, como fonte de proteína, há muitas outras opções: 

 Lentilhas 18 grs. por xícara
Edamame 20 grs por xícara
Seitan 19 grs. por cada 3 onças
Ervilhas 9 grs. por xícara
Arroz integral 5 grs. por xícara
Arroz branco 4 grs. por xícara
Brócolis cozidos 4 grs. por xícara
Sementes de girassol 6 grs. por ¼ xícara
Quinoa 9 grs. por xícara
Espinafres cozidos 5 grs. por xícara
Abacate 4 grs. por xícara
Pão Integral 7 grs. em 2 fatias
Feijão preto 15 grs. por xícara
Caju 5 grs por ¼ xícara
Semola cozida 8 grs. por xícara
Sementes de linhaça 4 grs por 2 colheres de sopa
Sementes de chia 5 grs. por e colheres de sopa
Bulgar (trigo) 5 grs. por xícara
Manteiga amendoim 8 grs. por 2 colheres de sopa
Manteiga de girassol 5 grs. por 2 colheres de sopa
Batata vermelha 3 grs. por xícara
Cevada 3 grs por xícara



Para fazer hambúrgueres, é possível usar lentilhas, cogumelos e legumes. Opções não faltam!


É possível, portanto, diminuir o consumo de soja, buscando alternativas mais saudáveis e ecológicas, que mantenham o nível nutricional e possibilitem uma vida mais leve.


Reportagem interessante: Soja – mitos e verdade


domingo, 13 de outubro de 2013

Divulgando: Pequena Chocolateria

Vale a pena conferir o chocolate sem lactose e totalmente orgânico da Pequena Chocolateria! Mais uma opção de produto vegano no mercado!

sábado, 21 de setembro de 2013

domingo, 30 de junho de 2013

terça-feira, 28 de maio de 2013

PAREDES DE VIDRO


Fotógrafo capta reação das pessoas ao testemunharem sofrimento dos animais em matadouro

05 de dezembro de 2012 às 6:00

Por Michelle Kretzer (PETA)
Tradução por Noelia Gigli (da Redação – EUA)
Pessoas choram ao verem o sofrimento dos animais (Foto: PETA)
Uma vez, Paul McCartney disse a famosa frase: “Se os matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos.” Bom, um grupo de defensores dos animais encontrou uma maneira de trazer o matadouro para a calçada. Aos sábados pela noite, as voluntárias Jennifer Mennuti e Boyd Weidman, do PETA, transmitirão “Fazenda de corte em 60 segundos”, para os pedestres na rua Lincoln Road, em Miami, nos EUA.
Para muitas pessoas, é a primeira vez que olham para os rostos dos animais que eles chamam de “bife”, “presunto” ou “pepita”. Estão diante da prova irrefutável de que sua “entrada” era, na realidade, uma vaca que tossiu e engasgou quando o sangue derramando de sua garganta cortada correu pelo seu rosto e cobriu o andar de baixo; um porco que gritava e chorava quando queimado até a morte em água quente; uma galinha, cujos desesperados gritos foram ouvidos enquanto suas pernas eram quebradas e era batida em grilhões e olhava passando os olhos pela longa fila de seus companheiros onde sua vida seria terminada por uma pá. Um fotógrafo captou algumas das reações das pessoas, e parece que Paul estava certo.
(Foto: PETA)
O defensor do PETA, Andrew Kirschner, que apresenta um programa de rádio sobre direitos animais, publicou as fotos em seu blog, Kirschner’s Corner, acompanhadas pelas experiências de trabalhadores nos matadouros, extraídas do livro de Gail A. Eisnitz, Slaughterhouse: The Shocking Story of GreedNeglect, and Inhumane Treatment Inside the U.S. Meat Industry (Matadouro: A chocante história da ganância, negligência e tratamento desumano na Indústria de Carnes dos EUA).
A seguir algumas descrições chocantes:
“Eu poderia contar histórias de terror sobre as cabeças de gado presas sob os portões de proteção e a única maneira de tirá-las é cortando-as, ainda estão vivos”.
“Uma vez eu levei a minha faca – afiada o suficiente – e cortei a ponta do nariz de um porco, como um pedaço de mortadela. O porco foi à loucura por alguns segundos. Em seguida, ele apenas ficou lá olhando, como um estúpido. Daí, eu peguei um punhado de sal e salmoura e triturei em seu nariz. Aí sim, o porco realmente enlouqueceu, esfregando o nariz em todo o lugar. Eu ainda tinha um monte de sal na minha mão – estava usando uma luva de borracha – e eu enfiei o sal no rabo do porco. O pobre do porco não sabia se **** ou ficaria cego”.
“Eu vi animais vivos acorrentados, hasteados, presos, e sem pele. Demais para contar, muitos para lembrar. É apenas um processo que nunca para. Eu vi porcos, que deveriam estar deitados, no transportador, sangrando, se levantar depois de terem sido presos. Eu vi porcos na banheira escaldante tentando nadar”.
“Estes porcos chegam até o tanque de água escaldada, encostam na água e começam a gritar e a chutar. Às vezes, eles se agitam tanto que chutam a água para fora do tanque … Mais cedo ou mais tarde eles se afogam. Há um braço rotativo que os empurra, impedindo que saiam. Eu não sei se eles queimam até a morte ou se morrem afogados, mas demoram alguns minutos para tudo terminar”.
“Os porcos se estressam muito facilmente. Se você os estressa muito, eles têm ataques cardíacos. Se você receber um porco em uma rampa que teve o **** cutucou fora dele e tem um ataque cardíaco ou se recusa a se mover, você pega um gancho de carne e o liga em seu rabo [ânus]. Os porcos vivos são arrastados vivos, um monte de vezes, enquanto o gancho rasga a carne do rabo. Eu vi presuntos – coxas – completamente rasgados. Eu também vi intestinos sair. Se o porco cai perto da frente da rampa, você enfia o gancho de carne em sua bochecha e o arrasta para a frente.
“Às vezes eu agarro o porco pela orelha e enfio através do olho. Eu não apenas estou tirando o seu olho fora, vou enfiar toda faca até o punhal, até o cérebro, e mexer a faca”.
Jovens choram diante das cenas de sofrimento e tortura animal (Foto: PETA)
“Os porcos no matadouro já vieram até mim pedindo carinho como se fossem filhotes. Dois minutos mais tarde eu tive de matá-los – bater neles até a morte com um cano”.
“Você não apenas o mata, você pega pesado, empurra com força, explode sua traqueia, faz com que se afogue no seu próprio sangue. Corta seu nariz. Um porco vivo estaria correndo em torno do poço. Estaria apenas olhando para mim e eu o degolaria, pegaria minha faca e furaria seus olhos. E este porco só iria gritar”.
“Eu já vi caras pegarem cabos de vassouras e enfiarem no trazeiro das vacas, ferrando-as com as vassouras”.
“Ele os chutará os porcos, os cutucará com o tridente, usará tudo que estiver aos seu alcance. Ele já quebrou três tridentes esse ano, usando-os contra os porcos. Ele não se importa se ele acerta seus olhos, cabeça ou bunda. Ele usa tanta força que quebra o cabo de madeira. Então ele os utiliza como bastão para acertá-los nas costas”.
(Foto: PETA)
“Eu já arrastei vacas até que seus ossos começassem a quebrar, enquanto elas ainda estavam vivas. Quando as estou trazendo até o canto e elas ficam presas na porta de entrada, puxo até que sua pele seja rasgada, até que o sangue escorra no concreto e ferro. Quebro suas pernas…. E a vaca chora com sua língua pendurada. Eles puxam os animais até que seus pescoços quebrem”.
retirado na íntegra do site: Anda